Websummit 2018

A desnecessidade de advogados na conciliação e mediação nos cejucs
12 de dezembro de 2018
Nova lei altera condições para Destituição de Sócio Administrador e exclusão de Sócio
18 de janeiro de 2019
 

Entre os dias 5 e 8 de novembro de 2018 ocorreu a Web Summit, principal evento Global do Ecossistema da Inovação, com investidores-anjos, aceleradoras, fundos de Venture Capital e StartUps de todos os setores. Entretanto, também se percebeu um movimento intenso de multinacionais, desde tecnologia como o Google, Facebook e Oracle, como de industrias do “mercado clássico” (bancos tradicionais, industrias, serviços de consultoria, etc...), as quais por sua vez se posicionam cada dia mais dentro do mundo tech não se permitindo mais distinguir entre os off-line e on-line. Neste evento foi possível perceber em definitivo, que quem não estiver engajado com inteligência artificial, Data Science, Analytcs, SaaS, PaaS e BlockChain, estará fora do baralho em alguns anos ou no máximo uma década. Não é por menos que das 5 (cinco) maiores empresas do mundo em menos de 30 (trinta) anos, 4 ( quatro) são de tecnologia e que das 95 (noventa e cinco) maiores empresas nos anos 1970, apenas 4% ainda estão entre as maiores hoje em dia.

Ademais, lá ficou evidente a importância do pioneirismo, estivemos no evento a convite da StartUp Chile (http://www.startupchile.org/ - a primeira aceleradora pública de StartUps da América Latina), a qual conta com Mathias Apparcel da apparcel Abogados como conselheiro e possui uma forte aliança conosco, e mesmo esta não possuindo um stand próprio lá, a respeitabilidade de outras aceleradoras do mundo todo era evidente. Também foi possível perceber a relevância que hubs de facilitação e conexão entre StartUps são de muita relevância para o mercado, a exemplo da Liga Ventures (StartUp que une outras StarUps com soluções disruptivas ao crescimento rápido usando os canais das grandes corporações) e da The Backery (aceleradora de inovação pioneira no mundo) como interface entre as vezes empresas mastodônticas e bastante engessadas e StartUps ávidas para se tornarem suas fornecedoras.

No evento a Nahas também teve a honra de ter dois de seus principais clientes, a Rival (Startup de desafios on-line e off-line voltados para esportes e cultura) e o Dr Aprende (StartUp de informações e educação continuada voltada para a área da saúde) convidados para as áreas “Alpha” do evento, onde startups Early Stage tem a oportunidade de apresentar seus modelos de negócio e tecnologia para potencias investidores e parceiros.

Por fim, no campo jurídico podemos dizer que a Lei geral de proteção de dados (13.709/18) reflete de fato uma tendência global e o Brasil até mesmo chegou atrasado neste movimento, mesmo que esteja utilizando o que há de melhor em legislação internacional para se aprimorar.

Um ponto off-line interessante do evento é o que, não importa o quanto tecnologia substitua as relações presenciais, todos que estão parte de um movimento, em algum momento irão querer se encontrar e isto é o Websummit Lisboa e nós da Nahas sempre estaremos lá.

 

Os comentários estão encerrados.